Debatedores cobram reconhecimento da ultrassonografia como especialidade médica independente

Debatedores cobram reconhecimento da ultrassonografia como especialidade médica independente

A pedido da deputada Flávia Morais (PDT-GO), a Comissão de Legislação Participativa da Câmara discutiu, nesta terça-feira (27), em audiência pública, a criação do Dia Nacional do Médico Ultrassonografista, a ser comemorado todo dia 21 de agosto.

Na ocasião, os especialistas pediram o reconhecimento da ultrassonografia como área de atuação e especialidade médica independente. Eles também defenderam a adoção do dia da homenagem (21 de agosto), pelo fato de ser a data em que foi fundada, em 1993,  a Sociedade Brasileira de Ultrassonografia (SBUS).

O presidente da SBUS, Rui Gilberto Ferreira, explicou que a adoção da data comemorativa daria mais visibilidade à importância da ultrassonografia. “A história da medicina se confunde com a própria história da humanidade, e temos uma medicina antes e outra depois da ultrassonografia, que é uma extensão da mão e do olho do médico, pelo fato de aperfeiçoar muito as ações de diagnóstico e terapêutica”, ressaltou.

Ele informou que o uso da ultrassonografia no mundo começou mais efetivamente a partir dos anos 40, com grandes avanços nos anos 60, 70 e 80 do século passado. No Brasil, o primeiro aparelho chegou em 1971.

O vice-presidente da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia, Reisson Serafim Cruz, salientou a importância da ultrassonografia na obstetrícia: “É uma ferramenta simples e barata, um exame que não demanda muita tecnologia, como uma ressonância ou tomografia, e contribui inclusive para a redução de gastos na saúde pública”. Segundo ele, todos os anos no Brasil cerca de 340 mil bebês nascem prematuros, ou seja, antes de completada a 37ª semana de gestação.

A deputada Flávia Morais apoiou a proposta de reconhecimento da ultrassonografia como área de atuação da Medicina. “Acompanho o trabalho de ultrassonografia e sei a importância desse exame na vida das pessoas, principalmente na prevenção de doenças. É importante valorizar esse profissional, essa área de atuação, para que tenhamos cada vez mais diagnósticos rápidos e precisos sem comprometer a saúde dos pacientes”, concluiu.

Ascom Lid./PDT com Ag. Câmara