Professora Goreth debate na Câmara os impactos do “fator amazônico” em políticas públicas educacional

Professora Goreth debate na Câmara os impactos do “fator amazônico” em políticas públicas educacional

A deputada Professora Goreth (PDT-AP) se reúne com educadores, nesta terça-feira (18), a partir das 10h, na Comissão de Educação da Câmara, para debater os impactos do “fator amazônico’ em políticas públicas educacionais. (Req. 105/24)

Fator amazônico é o termo utilizado para se referir aos custos adicionais de logística e transporte que empresas e governos precisam arcar para realizar ações na região Amazônica.

Professora Goreth afirma que a complexidade da vasta extensão territorial da Amazônia dificulta o acesso, por grandes áreas de floresta, rios e estradas precárias. Essa dificuldade afeta diretamente os preços e a qualidade dos serviços na região.

A deputada cita como exemplo a merenda nas escolas localizadas em regiões ribeirinhas. “A merenda escolar, que possui importância crucial, chega a tais comunidades por meio de balsas empurradas, por barco a motor ou por pequenos aviões”, afirma. “Com isso, a distribuição da merenda envolve planejamento de logística e movimenta um número significativo de pessoas e recursos, não planejados inicialmente a elaboração da política pública.”

Professora Goreth lista ainda outras dificuldades enfrentadas por alunos e professores na região e que precisam ser levadas em conta na definição de políticas públicas educacionais: a necessidade de adaptar o horário de aula de escolas ribeirinhas às marés, e o longo tempo de percurso dos alunos navegando os rios amazônicos para chegar à escola.

“Na Amazônia, a forma convencional de executar qualquer política pública não funciona”, alerta a deputada.

Convidados para discutir o assunto

Ascom Lid./PDT com Ag. Câmara