Gonzaga participa de manifestação de policiais por pagamento de salários

Gonzaga participa de manifestação de policiais por pagamento de salários

Policiais e bombeiros militares, pensionistas e seus familiares se manifestaram novamente nesta quarta-feira (02/03) contra o governo de Minas Gerais, que tem atrasado e parcelado os salários das Corporações. A manifestação reuniu cerca de 10 mil pessoas em Belo Horizonte. Os policiais e bombeiros militares seguiram em mais de 2 km de carreata rumo à Cidade Administrativa, sede do governo do Estado. Foram mais de 40 ônibus e vans com militares do interior e cerca de 500 motocicletas, além dos carros de passeio.

O deputado Subtenente Gonzaga (PDT-MG) afirmou que a manifestação é mais uma forma de reivindicar e exigir do governador de Minas o pagamento no quinto dia útil. “Estamos nos manifestando por conta de uma atitude irresponsável do governo, que está parcelando o salário dos servidores públicos. O governador deve pagar os proventos aos funcionários no quinto dia útil e não podemos abrir mão de nossos direitos e de nossas conquistas. Nossa luta vai continuar e se o governo não nos atender, ele já sabe que terá que administrar, também, uma crise institucional, porque a econômica já está tendo que administrar”.

O parlamentar também defendeu a Previdência dos Militares e disse que “é preciso ter responsabilidade e coerência para falar que a defesa da previdência supera qualquer argumentação política, ideológica ou partidária porque ela é uma defesa de estado brasileiro”. “Precisamos ter dimensão do risco que corremos, portanto, só vamos ganhar essa guerra se estivermos firmes nessa luta. O direito a um regime próprio de previdência, com regras específicas, é resultado de muita luta consolidada na Constituição, porém não são cláusulas pétreas. Teremos que mais uma vez defendê-la”.

Durante a manifestação, muitos policiais e bombeiros militares usaram as cores verde e amarelo, que representam a bandeira do Brasil. Também colocaram faixas de protesto nos ônibus, carros e motocicletas como forma de chamar atenção. Além do pagamento integral no quinto dia útil, os militares pleiteiam a garantia dos direitos conquistados, dos direitos previdenciários, uma política remuneratória, recomposição das perdas salariais e a defesa da autonomia e independência do IPSM. Gonzaga agradeceu o comparecimento dos policiais e bombeiros, fundamentais para o sucesso da segunda manifestação:  “Na primeira manifestação realizada em fevereiro demonstramos nossa coesão e, hoje, mais uma vez mostramos para o governo e também para a sociedade que somos uma classe una e indivisível. Foi uma excelente demonstração de que nossa classe está atenta e articulada. Vamos continuar nossa luta até que o governo tenha a exata dimensão de nosso potencial de promover uma crise institucional. Faremos o que for preciso para garantir nossos direitos e, se for necessário, paralisar as atividades. Isso vai depender de como o governo vai tratar os militares. Nosso muito obrigado a todos os militares da capital e do interior. Vamos à luta. Sem luta não há conquista!”.

No dia 1º de abril será realizada mais uma mobilização dos policiais e bombeiros miliares contra o atraso e parcelamento de salário. Já no dia 16 de março, acontecerá uma audiência pública na Assembleia Legislativa para discutir os direitos previdenciários.