Deputados e senadores do PDT são indicados ao Prêmio Congresso em Foco 2023

Deputados e senadores do PDT são indicados ao Prêmio Congresso em Foco 2023

Todos os deputados federais e senadores do PDT foram indicados ao Prêmio Congresso em Foco 2023. A votação já começou e vai até o próximo dia 31. É possível escolher os melhores parlamentares do ano, naquela que é considerada a premiação mais importante da política brasileira.

Criado em 2006, o prêmio tem como finalidade distinguir os melhores parlamentares do Congresso Nacional e estimular o cidadão a acompanhar seus representantes de modo ativo, assim como a participar plenamente da vida política.

Além do público, indicarão os melhores parlamentares do ano jornalistas que cobrem o Congresso Nacional e um júri especializado. Os vencedores serão anunciados na cerimônia de premiação, em 21 de setembro. 

O público votará, este ano, nas duas categorias gerais: “Melhores na Câmara” e “Melhores no Senado”.

Ao votar nos “Melhores da Câmara” e nos “Melhores do Senado”, o público também estará escolhendo os parlamentares que serão distinguidos regionalmente. Nesse caso, serão premiados os cinco senadores e os cinco deputados mais votados em cada uma das cinco regiões do País.

Um grupo seleto de parlamentares também concorre a duas categorias especiais, com votação somente pelo juri: Defesa da EducaçãoClima e Sustentabilidade, nas quais disputam apenas congressistas que demonstraram, ao longo do ano, maior envolvimento com as pautas educacionais e socioambientais.

Para isso, foram analisadas a atuação em comissões, frentes parlamentares e grupos de discussão voltados a essas causas; posicionamento em votações; formulação de propostas; e participação em debates sobre o assunto.

Em defesa do Poder Legislativo, a premiação valoriza os exemplos positivos, de modo a incentivar parlamentares federais a cumprir o seu papel e, ao mesmo tempo, sinalizar ao eleitorado que melhorar a qualidade da nossa representação política é possível.

No ano passado, o prêmio impactou mais de 16 milhões de pessoas. Ou seja, chegou ao conhecimento de um número superior à população de países como Bélgica, Bolívia, Cuba, Grécia, Portugal e Suécia.

Ascom Lid. / PDT com informações do Congresso em Foco