Constituição e Justiça da Câmara analisa projeto de Afonso Motta que simplifica a execução de sentenças para pagamento de dívidas

Constituição e Justiça da Câmara analisa projeto de Afonso Motta que simplifica a execução de sentenças para pagamento de dívidas

Em caráter conclusivo, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados vai analisar o Projeto de Lei 1413/23, de autoria do deputado Afonso Motta (PDT-RS), para permitir que uma decisão judicial transitada em julgado seja executada sem o transcurso de prazo (15 dias) para que o executado pague a dívida de forma voluntária.

Para o deputado, a lei atual implica “mais custos para todos” (custas processuais e de honorários), ao atribuir ao credor a responsabilidade por iniciar a cobrança da sentença, o que somente pode ser feito após a intimação do executado para que pague a dívida voluntariamente.

Ainda segundo Motta, com a retirada do prazo de pagamento voluntário, a cobrança será mais rápida e o credor poderá requerer ao juiz a certidão da decisão e realizar o protesto da dívida.

“Caso o devedor se sinta impelido a pagar seu débito em função do protesto, o credor não precisará requerer seja dado prosseguimento a fase executiva da ação e, ademais, o executado não será obrigado a arcar com eventuais custas processuais”, justifica o autor.

Pelo texto, a medida será válida para decisões judiciais definitivas e líquidas, as quais tem valor exato.

Ao ser aprovada na CCJ e se não houver recurso para apreciação em Plenário, a proposta segue para análise do Senado.

Ascom Lid./PDT com  Agência Câmara de Notícias