Arrecadação da bilheteria dos Parques Nacionais poderá ser investida na segurança dos visitantes

Arrecadação da bilheteria dos Parques Nacionais poderá ser investida na segurança dos visitantes

Parte da arrecadação dos valores cobrados do público e outras rendas dos Parques Nacionais poderão ser investidas em segurança dos visitantes da própria unidade. É o que prevê proposta do deputado Mário Heringer (PDT-MG) aprovada, nesta quarta-feira (29/11), na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

De acordo com projeto (PL 8385/17), os Parques Nacionais terão de aplicar, pelo menos, cinquenta por cento na implementação, manutenção e gestão da própria unidade, com prioridade para os gastos relativos à segurança do visitante, na forma da lei, do regulamento e de normas estabelecidas pelo órgão responsável por sua administração.

Mário Heringer explica que o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade ( ICMBio) é responsável pela gestão de 327 Unidades de Conservação distribuídas por todos os biomas do Brasil: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa, Pantanal e Marinho. No grupo das Unidades de Proteção Integral há 77 unidades passíveis de visitação pública.

Contudo, a verba proveniente da arrecadação pela visitação pública é destinada à abertura de novas trilhas, reforma ou construção de centros de visitantes, áreas de camping e outras estruturas de apoio, instalação de sinalização e promoção de atividades como mergulho, canoagem, caminhadas, rafting, entre outras, menos à segurança da população que visita os parques. “É fato que mais da metade dos Parques Nacionais encontra-se fechada à visitação pública por falta de recursos para a implementação das melhorias necessárias à segurança do visitante”.

O parlamentar alerta que ambientes naturais guardam perigos e requerem comportamento seguro do visitante. “Todavia, não sendo o visitante, em geral, pessoa acostumada à multiplicidade de riscos que cada área natural específica apresenta, é necessário que esse visitante seja guiado por ambientes minimamente adaptados à sua presença, pensados com vistas à sua segurança, além, é evidente, da segurança ambiental em si”.

Ascom Lid./PDT