Tabata cobra apoio psicológico para professor

Tabata cobra apoio psicológico para professor

A deputada Tabata Amaral, do PDT de São Paulo, participou, nesta quinta-feira (28/03), de uma audiência pública na Comissão de Educação da Câmara, para discutir a “Violência nas escolas e medidas preventivas”.

No encontro, deputados e especialistas pediram presença de psicólogos, e não de armas, nas escolas, para garantir a segurança de alunos e professores.

Tabata Amaral acredita que o professor não pode ter arma, porque não pode ser responsável pela segurança, como defenderam alguns parlamentares após o massacre de Suzano. Para ela, o professor precisa de apoio de psicólogos. “Não é luxo, faz sentido até financeiro você ter na escola o profissional que dá apoio, que acompanha, isso é urgente e é para agora”, opinou.

Representante do Instituto Sou da Paz, Felippe Angeli manifestou preocupação com o controle de armas de fogo e munições no País. Ele citou levantamento feito pela entidade que mostra que os ataques às escolas no Brasil ainda são raros em comparação com outros países em que o acesso a armas de fogo é facilitado.

Segundo o levantamento, desde 2002, foram oito ataques em escolas brasileiras, nos quais alunos ou ex-alunos armados atiraram contra estudantes e funcionários. Em metade desses ataques, os atiradores utilizaram que estavam armazenadas em suas casas.

Ascom Lid./PDT