PDT reconduz Lupi à presidência e fecha questão contra as reformas trabalhista e previdenciária

PDT reconduz Lupi à presidência e fecha questão contra as reformas trabalhista e previdenciária

Carlos Lupi foi reconduzido à presidência nacional do PDT pelo Diretório Nacional, durante a XXIII Convenção Nacional do partido, realizada na manhã de sábado (18/03), em Brasília. Durante o evento, foram discutidas as diretrizes do próximo biênio e ações para consolidar a campanha de Ciro Gomes à presidência da República em 2018. Ciro foi aclamado vice-presidente do partido.

Com a militância gritando as palavras de ordem “fora Temer!”, o partido  fechou questão contra as reformas Trabalhista e Previdenciária, por unanimidade. Por se tratar de pauta que contraria a ideologia trabalhista e as bandeiras de luta do partido, a  votação foi rápida.

O líder do PDT na Câmara, Weverton Rocha defendeu a união de todos os pedetistas para a construção de um projeto forte de nação e para ajudar o país a sair da crise. “Unidos fortalecemos ainda mais o nosso partido e ajudamos o país a sair da crise, porque o PDT está trabalhando por um projeto de nação, com propostas que vão ajudar o país e não retirar direitos do cidadão e do trabalhador para pagar juros dos bancos.”

O colega de bancada, deputado André Figueiredo (CE), falou dos retrocessos em curso no Brasil como a aprovação da PEC 55, que congela investimentos sociais por duas décadas, a entrega da riqueza do povo brasileiro, como o pré-sal e a Telebras, além de criticar a PEC 287, que trata sobre a Reforma Previdenciária. “Essa reforma da Previdência é um retrocesso para o povo, principalmente para as mulheres e trabalhadores rurais. Estamos vivendo uma política que privilegia o rentismo e a entrega das riquezas do povo brasileiro”.

Antes de passar a palavra ao pré-candidato à presidência Ciro Gomes, Lupi destacou a caminhada que o partido tem travado e a necessidade de ter o político cearense à frente do Executivo.

“Ciro representa a nossa esperança de restituir ao país a justiça social, o desenvolvimento e a soberania nacional. Quando falam negativamente do fato de Ciro ser franco e direto, eu digo que são poucos os homens que podem fazer isso. Só os honestos, os que não têm rabo preso, falam a verdade, doa a quem doer”, garantiu Lupi.

Emocionado, Ciro  Gomes disse ter consciência do duro caminho que tem pela frente em sua empreitada. “Um caminho espinhoso e de confronto percorrido por Getúlio, Jango e por Brizola”, afirmou. “Estou preparado para enfrentar o que vier. Não me conformo em ver o país entregue aos interesses estrangeiros, do capital, enquanto o desenvolvimento é negado para o seu povo”, asseverou.

“Estive decidido a abandonar a política. Veio o golpe e fiquei profundamente desapontado com os rumos do país. Então surgiu Lupi e seu convite de voltar a luta. Fiquei relutante e cedi. Pela primeira vez na minha vida política, me sinto pertencente a um partido. Pois então companheiros, lhes garanto, o povo brasileiro ‘verá que um filho teu não foge a luta’”, concluiu Ciro, ovacionado com as palavras de ordem “Brasil para frente. Ciro presidente!”.

Presidentes dos movimentos sociais do PDT, parlamentares, dirigente estaduais e outros líderes trabalhistas estavam presentes e atuantes ao longo da reunião, expondo o desenvolvimento da luta nos últimos dois anos e apontando ações para o próximo período.

 

Ascom PDT Nacional / Lid .PDT