Flávia Morais propõe criação do Dia Nacional do Movimento Mães que Oram pelos Filhos

Flávia Morais propõe criação do Dia Nacional do Movimento Mães que Oram pelos Filhos

Deputada Flávia Morais (PDT-GO)

Com o objetivo reconhecer e homenagear as mães que, por meio da oração, dedicam-se à proteção, bem-estar e orientação espiritual de seus filhos, a deputada Flávia Morais (PDT-GO) apresentou à Câmara dos Deputados projeto de lei (PL 414/24) que busca instituir o Dia Nacional do Movimento Mães que Oram pelos Filhos, a ser celebrado anualmente em 30 de março.

O texto da proposta prevê que o poder público, em conjunto com entidades religiosas e sociais, promoverá ações e eventos alusivos à data, com o intuito de destacar a importância da oração materna no desenvolvimento e formação das crianças e jovens.  Caberá ao Poder Executivo federal, estadual e municipal, conforme a esfera de competência, a divulgação e promoção de atividades educativas, culturais e religiosas relacionadas à comemoração.

A proposição estabelece, ainda, que as despesas decorrentes da execução da lei proposta, se aprovada, correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas caso necessário.

Originado em 2011, o Movimento Mães que Oram pelos Filhos passou a ser, em dezembro de 2014, reconhecido pela Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo, tendo como orientador espiritual o padre Anderson Gomes, que solicitou a organização do seu manual e regimento. Em 2018, já haviam 578 grupos cadastrados no Brasil, 11 no exterior, nove nas escolas e um em hospital.

A autora do projeto diz que o Movimento Mães que Oram pelos Filhos tem desempenhado um papel fundamental na promoção da paz, orientação espiritual e bem-estar emocional de inúmeras famílias em nosso País. “Reconhecer oficialmente o dia 30 de março como o dia nacional deste movimento é uma maneira de homenagear e valorizar o compromisso dessas mães, bem como destacar a importância da espiritualidade na formação das crianças e jovens”, defende Flávia Morais, que acrescenta: “Além disso, a celebração deste dia também promoverá a união e o respeito entre diferentes comunidades religiosas em torno de um propósito comum”.

Ascom Lid. / PDT