Diretório Nacional do PDT fecha questão contra o impeachment de Dilma Rousseff

Diretório Nacional do PDT fecha questão contra o impeachment de Dilma Rousseff

O PDT confirmou  nesta sexta-feira (22/01) o posicionamento do partido contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, em reunião do Diretório Nacional que contou com a presença de integrantes das bancadas da Câmara e do Senado. “O Diretório Nacional fecha questão contra o impeachment. Não vai ter golpe”, afirmou o presidente nacional da legenda, Carlos Lupi.

A Executiva do partido já havia se posicionado neste sentido em reunião realizada em dezembro, mas faltava a confirmação pelo diretório para fechar a questão. “Por falta de qualificação e conteúdo jurídico que possui esse pedido de impeachment. Não há nenhum fato legal, não há prova, não há nada que atinja a honra da presidente Dilma. Ninguém pode terceirizar o crime”, disse Lupi, lembrando que a presidente era filiada ao PDT antes de seguir para o PT e concorrer à Presidência da República.

Em entrevista à imprensa,  além de explicarem os objetivos dos dois dias de reuniões do PDT, Lupi e Ciro Gomes reiteraram o posicionamento do partido contra o impeachment de  Dilma e pelo afastamento de Eduardo Cunha  da Presidência da Câmara.  Sobre as eleições municipais de 2016, Lupi disse que a legenda tem por meta eleger 10% dos prefeitos do país. Lupi também afirmou que “as andanças com Ciro pelo país têm o objetivo de preparar o PDT para a candidatura dele, na eleição presidencial de  2018 – fato que não impede que se apresentem outros candidatos dentro do partido”. Questionado sobre a aproximação de petistas ao PDT por conta de Ciro, frisou que parte do PT vê o nome de Ciro com simpatia “e não são poucos.” Ciro Gomes disse durante a reunião que aceita “qualquer tarefa” que o PDT entenda que ele esteja à altura. O ex-governador encerrou o discurso sob coro de “Brasil pra frente, Ciro presidente”. Lupi defendeu a necessidade de qualificação dos quadros partidários para fortalecer a base e capacitar os candidatos que vão disputar os próximos pleitos.

Para o líder do PDT na Câmara, Weverton Rocha (MA),  2016 será o ano do partido.  “Temos que aproveitar o momento atual para abrirmos o debate de projetos que vão  levar o Brasil para frente. Temos condições de sermos a opção para o país , disse Rocha.

A presidente Dilma Rousseff também compareceu à reunião. No final do evento, a presidente agradeceu o apoio do PDT ao Governo e lembrou que agora o mais importante é reunir forças para colocar o país de volta nos trilhos: “Na democracia, é normal que qualquer um critique, se manifeste e divirja do que ocorre. O que não podemos aceitar é que as questões que forem essenciais ao país deixem de ser objeto de uma ação conjunta para que possamos voltar a gerar renda e emprego.”

Ascom/Lid. PDT