Comissão aprova homenagem de Duda Salabert a organizadores de parada LGBTQIA+ de Belo Horizonte

Comissão aprova homenagem de Duda Salabert a organizadores de parada LGBTQIA+ de Belo Horizonte

Deputada Duda Salabert (PDT-MG)

A Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados aprovou requerimento (RQ 96/2024 CLP), de autoria da deputada Duda Salabert (PDT-MG), de moção de aplauso ao Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual (CELLOS) de Minas Gerais, pela organização da 25ª Parada do Orgulho LGBTQIA+ da cidade de Belo Horizonte.

Esse ano, Belo Horizonte celebrará a sua 25ª Parada do Orgulho LGBTQIA+. O evento ocorre na cidade desde 1998, e foi inicialmente organizado por Soraya Menezes, da Associação Lésbica de Minas Gerais (ALEM), após influência das primeiras paradas, realizadas no Rio de Janeiro e em outras cidades ao redor do mundo. Num contexto em que o estigma contra a homossexualidade prevalecia, diversas pessoas compareceram à primeira manifestação usando máscaras, de modo a evitar o reconhecimento. Desde 2005, a parada é organizada pelo CELLOS MG, e se tornou a maior manifestação popular de massa, de caráter social, do estado de Minas Gerais.

A deputada lembra que o Brasil é o país que mais mata pessoas LGBTI+ no mundo. Em 2022, foram registradas 273 mortes e violências a pessoas LGBTIA+. Desse total de mortes, 228 foram por assassinato, 30 por suicídio e 15 por causas diversas. Segundo a parlamentar, os assassinatos e outras formas de violência física, no entanto, são apenas a ponta do iceberg, e revelam como a sociedade brasileira ainda é profundamente influenciada pela lgbtifobia, que atravessa todos os aspectos da vida dessa população, resultando em redução da qualidade de vida e restrições de direitos.

“Apesar disso, de forma corajosa, os movimentos sociais LGBTI+ vêm lutando para alterar essa situação e promover um mundo mais justo, sem discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero. Uma das principais ações nessa luta, realizada em diversas cidades pelo mundo, são as paradas do orgulho LGBTIA+”, afirma Duda Salabert, que arremata: “trata-se de um momento de celebração, diversão e luta”.

Ascom Lid. / PDT