André Figueiredo defende Legislativo independente e aberto às demandas da sociedade

André Figueiredo defende Legislativo independente e aberto às demandas da sociedade

O candidato do bloco PT, PDT, PCdoB à Presidência da Câmara, deputado André Figueiredo (PDT-CE), defendeu em seu discurso  a independência da Câmara dos Deputados em relação ao Poder Executivo e a abertura da Casa às demandas da sociedade.

Para o candidato, há dois caminhos a seguir nesta eleição: o primeiro, da subserviência, de a Câmara estar sempre atrelada ao Poder Executivo; o segundo, de abertura da Casa para a discussão de temas encaminhados não só pelo Executivo, como pela população brasileira e pelos próprios parlamentares.

“Queremos resgatar o que a Casa já foi. O presidente da Câmara não pode ser instrumento de chantagem do Poder Executivo, como foi há pouco tempo, ou mero carimbador da vontade do Executivo, como está sendo agora”, disse.

Na visão do parlamentar, o Executivo está impondo pauta “perversa” e “maléfica” à Casa sem o devido processo de discussão. Segundo ele, a Câmara precisa votar temas importantes, mas não no afogadilho. “Não podemos admitir o que aconteceu nos últimos seis meses. Está havendo usurpação do Poder Executivo do ato de legislar.”

O pedetista também pediu o fim do envio excessivo de medidas provisórias e defendeu uma pauta mensal previamente discutida e divulgada, para que não haja inserções na pauta de última hora. Além disso, defendeu que o Plenário da Câmara possa ser ocupado nos dias sem sessão pela população, para a discussão de suas demandas. “Podemos fazer essa Câmara mais viva às segundas e sextas e tornar população mais ativa no processo legislativo.”

Figueiredo também chamou atenção para a falta de participação feminina na Mesa Diretora da Câmara, e defendeu mais participação feminina em cargos de direção na Casa. Por fim, prestou ainda solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo falecimento de sua esposa, Marisa Letícia.

 

Ascom Lid.PDT com Agência Câmara