Leitos vagos em UTI’s de hospitais militares poderão ser ocupados por civis com Covid-19

Leitos vagos em UTI’s de hospitais militares poderão ser ocupados por civis com Covid-19

O deputado Eduardo Bismarck (PDT-CE) apresentou o Projeto de Lei 457/21, para permitir que leitos vagos em UTI’s dos Hospitais das Forças Armadas sejam utilizados por cidadãos comuns (civis), que estejam passando por situação de emergência divido à pandemia da Covid-19.

Pelo texto, os leitos ociosos das unidades vão ser disponibilizados sob a forma ambulatorial ou hospitalar através do Sistema Único de Saúde para a população em geral vítimas da Covid-19, quando a capacidade hospitalar da região estiver esgotada.

Em pronunciamento realizado em Plenário, nesta quinta-feira, 25, Eduardo Bismarck frisou que “no auge da pandemia em Manaus (AM), quase 75% das UTI’s do hospital militar da capital estava vazio, enquanto a população perecia em filas à espera de vagas em hospitais públicos da cidade e do estado”.

Segundo relatou o deputado, o site ‘UOL notícias’ publicou que 84 dos 116 leitos destinados para pacientes da pandemia de Covid-19 estavam livres nos hospitais militares. “Enquanto isso, 278 pacientes civis aguardavam na fila oficial, sendo 217 em Manaus e 61 no interior do estado”.

Ainda de acordo com o deputado, “a proposta visa à adoção de medida tão urgente quanto necessária, que é possibilitar a ampliação da oferta de leitos para a população em geral”, justificou o deputado.

Ascom Lid./PDT