Comissão da Mulher aprova projeto que exige 1/3 de mulheres na direção de organizações sociais que atuem com o poder público

Comissão da Mulher aprova projeto que exige 1/3 de mulheres na direção de organizações sociais que atuem com o poder público

Nesta quinta-feira (15), a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher aprovou parecer favorável da deputada Flávia Morais (PDT-GO) a projeto que destina pelo menos um terço das vagas na direção de organizações sociais que atuem com o poder público a mulheres. Para a relatora, “a proposição permite a correção do erro histórico que é a sub-representatividade feminina na composição dos conselhos de administração das Organizações Sociais e Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público”.

Flávia Morais argumenta ainda que apesar de a Constituição garantir o direito à igualdade, as mulheres ainda sofrem com baixa representatividade nos cargos de relevância. Para superar essa situação e permitir que o princípio da igualdade seja alcançado na prática, na opinião da deputada, é necessário que se “permita no espaço público construir um ambiente paritário onde a mulher deixe de ser ignorada e seja reconhecida como sujeito atuante”.