Comissão aprova projeto que permite pagamento de dívida tributária com bens móveis

Comissão aprova projeto que permite pagamento de dívida tributária com bens móveis

A Comissão de Finanças e Tributação aprovou, na quarta-feira (7), com substitutivo, proposta (PLP) 111/20, do deputado Gustavo Fruet (PDT-PR), que permite aos contribuintes em débito com o Fisco quitar as dívidas com bens móveis, como veículos, máquinas e ações.

A medida será aplicada apenas na vigência de estado de calamidade pública e para os débitos já inscritos em dívida ativa. Além disso, o valor dos bens móveis será limitado ao valor das aquisições públicas dispensadas de licitação.

O substitutio aprovado do relator, também pedetista, deputado Eduardo Bismarck (CE), inclui um dispositivo determinando que não sejam aceitos móveis de difícil alienação, inservíveis (como os obsoletos ou muito danificados) ou que não atendam a critérios a serem definidos pela administração pública, como necessidade e utilidade. O objetivo é compatibilizar o projeto às normas de equilíbrio fiscal, evitando prejuízos ao erário.

A proposta altera o Código Tributário Nacional, que hoje só permite pagar dívida tributária com bens imóveis, como lotes e casas, mas não com móveis.

Para Bismarck, isso compromete a aplicação do mecanismo, que poderia “ser de grande utilidade em situações de generalizada inadimplência tributária e de imperativa necessidade de aquisição de determinados bens por parte da administração pública, como a que se observou durante a pandemia.”

O projeto será analisado agora pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Depois seguirá para o Plenário da Câmara. Ascom Lid./PDT com Agência Câmara de Notícias