André Figueiredo é novo líder da Oposição na Câmara

André Figueiredo é novo líder da Oposição na Câmara

O deputado André Figueiredo (PDT- CE) foi indicado nesta terça-feira (10) como novo líder da Oposição na Câmara dos Deputados.

A escolha se deu após diálogos com os partidos de Oposição e a Presidência da Casa. “As lideranças da Oposição e da Minoria terão agora a mesma relevância no papel institucional que lhes cabe, sendo instrumentos importantes no debate e resistência no Legislativo”, afirma André Figueiredo.

Mini-perfil

Natural de Fortaleza (CE), André Peixoto Figueiredo Lima é formado em economia (1987) e em direito (1995), pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e pós-graduado em Comércio Exterior pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR).

Em 1984, filiou-se ao Partido Democrático Trabalhista. Fundou e foi o primeiro presidente da Juventude Socialista do Ceará e logo, tornou-se membro do Diretório Nacional do partido, membro da Executiva Regional, presidente do Instituto Alberto Pasqualini Ceará, vice-presidente nacional da Fundação Leonel Brizola/Alberto Pasqualini.

André foi eleito como suplente de deputado e efetivado no mandato de deputado federal na legislatura 2003-2007, em 6 de janeiro de 2005. Desde então, o parlamentar foi reeleito como titular nos pleitos subsequentes (2011-2015); (2015-2019) e (2019-2023). Nesse período, oscilou entre a liderança e a vice-liderança da bancada do partido na Câmara por algumas vezes.

Em 2 de outubro de 2015, a convite da então presidente da República Dilma Roussef, assumiu como ministro a pasta do Ministério das Comunicações.

Tido pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), como um dos mais influentes do Congresso Nacional, por exercer real influência no processo decisório e sobre os atores nele envolvidos, André Figueiredo foi relator do projeto que assegurou 75% dos recursos do pré-sal para a educação e 25% para a saúde.

Votou contra a PEC dos Gastos Públicos; Reforma Trabalhista; Reforma da Previdência; e a favor do processo em que se pedia abertura de investigação do ex- Presidente Michel Temer.

Ascom Lid./PDT