Vidigal propõe Frente Parlamentar Mista de Prevenção do Suicídio e Valorização da Vida

Vidigal propõe Frente Parlamentar Mista de Prevenção do Suicídio e Valorização da Vida

Sérgio Vidigal (22)

Dados do Ministério da Saúde demonstram que de 2007 a 2016 foram registradas 106.374 mortes. Entre 2011 e 2015, o grupo que registrou a taxa mais alta de óbitos foram os indígenas: 23,1 entre os homens e 7,7 a cada 100 mil habitantes entre as mulheres. De acordo com a pasta, existem causas que não ficam claras se seriam acidentes ou se a pessoa teria provocado a própria morte.

Ainda pelos dados, o suicídio é a quarta maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, sendo a terceira para homens nesse grupo, e entre as mulheres, a oitava.

Diante dessa estatística, o deputado Sergio Vidigal (PDT-ES) propôs a criação da Frente Parlamentar de Prevenção do Suicídio e Valorização da Vida. “Os dados são alarmantes e revelam a necessidade urgente de providências que mudem essa realidade e estabeleça uma agenda fixa de discussão e debates sobre as formas de prevenção do suicídio e valorização da vida”.

De acordo com o parlamentar, que o objetivo é criar uma Política Nacional de Combate ao Suicídio, para promover o intercâmbio e colaboração entre as redes de saúde federal, estadual e municipal. “A intenção é debater de forma sistêmica a promoção, a prevenção, o tratamento e a recuperação. Além disso, assegurar o acesso às diferentes modalidades terapêuticas”, acrescenta o deputado.

Sergio Vidigal também é autor do Projeto de Lei 3248/15 que dispõe sobre as condições para as ações de prevenção e de combate ao suicídio, com o intuito de regulamentar a assistência no Sistema Único de Saúde.

A assistência à prevenção e ao combate ao suicídio engloba a formação de redes intersetoriais, com o envolvimento e capacitação de equipes multidisciplinares, compostas de médicos, enfermeiros, psicólogos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas e profissionais afins. “Desta forma, os pacientes terão um tratamento mais adequado e eficiente para seus transtornos e aflições”, conclui o deputado.

Ascom Lid./PDT com assessoria do deputado