Artigo: Obsessão dos delegados pela exclusividade da investigação prejudica a segurança pública

Artigo: Obsessão dos delegados pela exclusividade da investigação prejudica a segurança pública

Subtenente Gonzaga (33)

Em qualquer lugar do mundo, o papel da polícia é prevenir, através do policiamento ostensivo e investigar. Contudo, em qualquer lugar do mundo, a polícia exerce o chamado ciclo completo. Ou seja, a mesma polícia que previne, também investiga. O efeito sinergético disso é menos violência, menos criminalidade e mais eficácia das polícias. Enquanto isso prevalece no Brasil, a lógica burra dos delegados, que impede a eficiência e eficácia do sistema de persecução penal ao tentar impedir, inclusive, que a Polícia Militar, a Polícia Rodoviária Federal e até mesmo os agentes da Polícia Civil, possam fazer um simples TCO.

Resultado disso? Um modelo que impõe ao Brasil a pior estatística de elucidação de crimes. Menos de 8% dos crimes de homicídio e menos de 3% nos demais. Vamos mudar isso. Tenho a satisfação de ter sido o autor do texto que se transformou no artigo 191 da lei 22.257/16, que permitiu à Polícia Militar implementar a lavratura do TCO em mais de 70% dos municípios mineiros, e, logo chegará a 100%.

Vou continuar nessa luta. Acredito nela como instrumento de valorização dos Policiais e como medida e eficientização das ações e de segurança pública.

Subtenente Gonzaga, Deputado Federal pelo PDT mineiro

Ascom Lid./PDT com assessoria do deputado